Associação

História

A asma  é uma doença com grande importância em termos pessoais e socio-económicos dada a sua elevada prevalência, caracter crónico, interferência com a qualidade de vida dos doentes e os  custos financeiros que acarreta. Sendo actualmente uma doença controlável na maioria dos casos, quando correctamente tratada, é da maior importância alertar os doentes e os seus familiares para a necessidade de um diagnóstico precoce e da instituição de medidas profiláticas e terapêuticas adequadas por médicos especialistas.

Isto só será possível com planos de educação permanentes dirigidos a médicos de cuidados primários, outros profissionais de saúde, doentes, familiares e público em geral. A informação e o suporte prestados pelos profissionais de saúde são fundamentais, mas para se conseguir uma boa aderência da parte do doente é indispensável que a informação  se acompanhe de níveis iguais de comunicação, papel que compete em grande parte às associações de doentes.

Com base nestes conhecimentos, um grupo de doentes asmáticos , com o auxílio de médicos especialistas (Imunoalergologistas e Pneumologistas), decidiu formar a Associação Portuguesa de Asmáticos (APA), que foi legalizada em Maio de 1995, com os seguintes objectivos:

– Chamar a atenção de doentes, profissionais de saúde e público em geral para a asma como um problema global de Saúde Pública.

– Participar activamente no desenvolvimento  de programas que visem promover um melhor conhecimento da doença e dos procedimentos correctos para a controlar, com a finalidade de melhorar a qualidade de vida dos asmáticos e baixar os custos directos e indirectos da doença.

– Melhorar os níveis de comunicação entre os profissionais de saúde e os doentes asmáticos, ajudando-os a compreender as mensagens que lhes são transmitidas, a mudar o seu estilo de vida quando tal é necessário, estimulando-os a aceitar a sua própria responsabilidade e criando um movimento de solidariedade entre os asmáticos, que tantas vezes consideram a sua doença como uma barreira que os impede de terem uma vida igual à das outras pessoas.

– Intervir socialmente, de modo a permitir um acesso igual de todos os doentes à informação, tratamento e educação.

– Contribuir para o controlo de substâncias gravosas no ambiente de casa, do trabalho e do meio exterior e alertar as autoridades públicas para esta problemática.

Para atingir os objectivos a que se propôs, a APA tem vindo a desenvolver acções de divulgação junto de médicos,  outros profissionais de saúde,  doentes e público em geral com a presença de seus elementos em  Congressos Nacionais das especialidades afins, campanhas de rua, acções em escolas, participação em programas de rádio e televisão e entrevistas para jornais e revistas. Elaborou e distribuiu milhares de folhetos informativos sobre a doença asmática, os factores que podem desencadear as crises, as medidas para as evitar, o uso correcto da medicação e as finalidades desta  Associação. Criou uma página na Internet, que está a actualizar e dinamizar, aderiu à European Federation of Asthmatics (EFA), conjunto de várias associações  europeias de doentes asmáticos, com a qual tem uma troca frequente de informações. Tem colaborado numa comissão da Direcção Geral de Saúde com peritos de diversas áreas na elaboração e  aplicação prática  do Programa Nacional de Controlo da Asma e está integrada  na Plataforma que agrega várias associações portuguesas de outras doenças crónicas em colaboração com a Associação Nacional de Farmácias, que tem procurado obter benefícios sanitários e sociais , junto das entidades competentes. Todos os anos, no início de Maio, quando se comemora o Dia Mundial da Asma a APA tem estado presente em locais públicos, realiza eventos desportivos, alguns com a participação de atletas de renome, e é neste dia que a imprensa lhe dá mais visibilidade.

Na sua sede na rua Arnaldo Gama, 64-2º, no Porto, tem sido possível contactar directa ou telefonicamente com centenas de asmáticos que procuram esclarecimentos sobre a doença e o funcionamento da Associação. As grandes dificuldades para os asmáticos continuam a residir no preço dos medicamentos e na ausência de comparticipação em vários materiais e dispositivos importantes para controlar a doença, o que condiciona estarmos ainda muito longe de atingir os objectivos propostos pelas linhas de orientação internacionais. Neste momento os sócios da APA têm descontos em algumas vacinas anti-alérgicas e em diversos materiais destinados a diminuir o contacto com os ácaros. O número de sócios ainda é muito reduzido e torna-se indispensável chamar a atenção  de todos os asmáticos para a importância de aderir a esta Associação de modo a fazermos sentir que, se nos forem dadas condições, podemos ter uma qualidade de vida igual à das pessoas saudáveis.